Últimos posts

Pesquisa








Soa tão ligeiro e engraçado quando algo vai muito errado em sua vida, dentro de você. É assim: aconteceu, de repente, e aí meus dedos meio que travaram. E foi de uma maneira leviana, mas me pegou muito desprevenida e sem jeito. Dizem que as coisas da vida são assim. Que podemos estar felizes imensamente agora e daqui a segundos as coisas desmoronam de tal maneira que o coração quebra e a alma voa. Ou corre mesmo de pavor. Ou tanto faz.

Tanto fez que não conseguia escrever sequer uma palavra. Nem sentar também. Foram dias bem complicados, cheios de ansiedade e medo. Um medo de deixar que minhas palavras se perdessem sem alcançar mais pessoas, sem tocar mais corações. Medo de me esquecerem. Sabe como é essa coisa de esquecer, não sabe? Dá um frio danado na barriga ás vezes. Eu sei, me entendo e te entendo.

Deus, meu Rei e meu Senhor permitiu que ficasse com dores demais nesse mês que voou. E olha, voou muito depressa. Não percebi que abandonei quase, tudo: família, namorado, blog, hobbies, trabalho. Sim! Fiquei todo esse tempo sem me lembrar o que amava fazer, o que tinha de fazer. Parece muito ruim. E é muito ruim. Chorei várias vezes com medo de falar 'merda' e fazer 'merda'. Pois quando se passa por uma situação de prova de Amor, prova de força e coragem, as coisas ficam muito feias e frias. Digo isso pois assim aconteceu. 

Havia dias em que minha vontade de dormir vinte e quatro horas seguidas era tudo o que queria. Não queria companhia, nem carinho, nem amor, nem comida e água. Só dormir para esquecer um pouco para ver se acordava sem dor. Mas ao contrário, havia dias em que queria tanto um colo e um abraço, alguém para dizer que logo eu iria sarar. Dias esses em que mais chorava e orava. Nunca desejei tanto em minha vida para voltar a minha simples e pacata rotina. 

Assim, nesses dias, consegui refletir nos momentos em que os remédios faziam efeito e a dor amenizava. Refletia o quanto minha rotina simples era rica e preventiva. Não tenho uma vida corrida, nem com muitos compromissos e nem muitos amigos (esses faltam mesmo), e nem muito menos com baladas e festas. Minha vida se resume em trabalho, blog, família, namorado e minhas cadelinhas e claro, os poucos mas bons amigos. Uma rotina que considero tranquila demais ás vezes, mas que me faz muito feliz e assim, consigo refletir em tudo, ou quase tudo. Há algum tempo, mesmo com esse rotina calma, estava me afastando do Senhor e isso estava me prejudicando aos poucos. Ou aos montes mesmo! E então percebi o motivo Dele ter permitido que eu passasse por dias ruins. E se voltei a Ele? Anda teria que perguntar? Peito aberto em um dia frio. Mente fresca em um dia quente. Só quero mãos calejadas de escrever demasiadamente.
escrito com amor
  • Comente pelo Facebook!

    3 Comentários

    1. só tenho uma coisa a dizer: obrigada. preciso dizer que vou viciada em textos assim e você alimentou meu vício e no momento eu estou me deliciando com ele. escreve muito bem, é muito tocante a forma que descreve tudo.

      ResponderExcluir
    2. Assim como a Wong, ali em cima, eu tb quero agradecer. Não estou muito diferente de você, e se visitar meu blog e ler o post "Último Romance" você irá entender. Você colocou as palavras de uma maneira muito doce, para explicar algo bem amargo. Um beijo enorme.

      www.chadefirulas.com.br

      ResponderExcluir
    3. Eu nunca cheguei aqui pra me sentir tão próxima de você, sério!
      Esse post mexeu comigo de alguma forma, me identifiquei em algumas partes e ó volta a fazer o que te faz bem aos poucos, se aproxime Dele e entregue sua vida.
      Desejo melhoras e se por acaso precisar de alguém pra conversar pode me chamar que eu vou estar lá pra te ouvir ♥
      E seu layout esta maravilhoso

      ResponderExcluir

    Obrigada pela sua visita! Ela é muito importante.