Pesquisa








   Eu. Somente eu posso fazer algo ou nada por mim. Digo, favores que vem de dentro, aqueles que nos fazem o maior bem do mundo. Sabe aquele bolo que só você sabe fazer? Esse bolo, não o bolo da tia, da Maria. O seu bolo. Tem seu gosto preferido, a quantidade de ingredientes que você adora e condiz com seu aprendizado. Doce demais, ou azedo demais. Tanto faz. O bolo é seu mesmo. Você quem vai comer todinho e ficar muito feliz por sinal. Ou triste depois que perceber quantas calorias ingeriu. Mas aí que está: a maneira como entende o que fez.

   Vivo de pequenos grandes prazeres, desses que nos saboreiam sem pedir licença. Por exemplo, quando mato minha vontade de tomar um sorvete que só vende pertinho de casa e tem que ser sundae. Não pode ser outro! Não enjoei ainda, podem acreditar.

   Escutando uma música que estava com saudades (lê-se todo parágrafo em uma só letra e melodia: Lost Stars, Adam Levine) e não deu outra: cantarolei por aí, texto para o blog, sorrisão nos lábios finos e um cabelo bem bagunçado pelo ventilador que só percebi quando terminei esse texto. Apenas ouço e vagarosamente começo a escrever em minha mente. Mesmo que os dedos estejam coçando, não escrevo. Deixo as palavras irem. Assim elas ficam mais leves sabiam? 

   Preciso deixar bem escrito que: eu piro na voz desse cara. Nessa música, fico embriagada quando ele canta ' I thought I saw you out there crying. I thought I heard you call my name. I thought I heard you out there crying. Just the same', e tradução ' E pensei ter te visto lá fora chorando. E pensei ter te ouvido chamar meu nome. E pensei ter te ouvido lá fora chorando. Mas não somos todos estrelas perdidas tentando iluminar o escuro?'. Por que essa voz hein Adam? Por que essa voz aguda afinada que me arrepia? Para que tanto sentimento jorrando assim minha gente? Não sei explicar o que acontece comigo quando me vejo já saindo quase correndo. Mas obrigada pelas emoções!

   Dá vontade de tirar a roupa e sair vagando para não voltar mais. Que aliás, esse música me passa uma sensação muito forte de liberdade misturada com êxtase de inspiração. Estranho? Até pode ser. Mas e qual o problema? Sem essa arte de dentro para fora, não seria eu. Para entenderem um pouco, ou tentarem entender, ouvi cerca de dez vezes só para escrever essas linhas. Parando entre um parágrafo e outro para cantar alto, no tipo, bem alto mesmo! Dando a louca em mais um dia de tranquilidade. 

   Queria mesmo uma bicicleta dessas antigas para montar nela, colocar um fone de ouvido, uma roupa confortável (muito confortável) e andar bastante, até meu tênis pedir arrego e sossego. Desses andados que soam tanto que desidratam o cérebro e depois é preciso parar para respirar, ou tomar uma água fresca. Ou fazer os dois. Ahh tanto faz mesmo! Ou talvez quem sabe uma porção de acerolas que achar em um pé por aí. Quem sabe uma vida dessas? É, quem pode pensar?

Gostaram do texto de hoje? Fala aí nos comentários. Sua opinião é muito importante para essa escritora.
Me acompanhe também:
Veja mais posts sobre:
postado com amor por
  • Comente pelo Facebook!

    11 Comentários

    1. nossa dia a dia é feito msm de pequenos prazeres ne, curti mt o post

      www.tofucolorido.com.br
      www.facebook.com/blogtofucolorido

      ResponderExcluir
    2. Lindo texto Camila. <3
      Amo essa música Lost Stars, aliás, toda a trilha sonora do filme Begin Again (de onde essa música é) tanto na voz do Adam quanto da Keira :) :)

      Beijo!
      Aline
      http://5kmiles.com.br

      ResponderExcluir
    3. Aaaaaah que lindo! Nossa, adorei deeeemais! Fiquei apaixonada pelo texto, e esses pequenos grandes prazeres são realmente maravilhosos e o que colore os dias, não é? Gostei do sue blog, estou curtindo a fan page! Beijos. Flores no Outono

      ResponderExcluir
    4. Caaaaaa, ficou lindo o textooo (os espaços fizeram MUITA diferença, juro).
      Esses pequenos grandes prazeres são os melhores, e lendo o seu texto eu fui pensando sabe? No meu caso não seria um sorvete, seria o açai.


      Beijos, Love is Colorful

      ResponderExcluir
    5. Amei linda!
      Ficou perfeito!
      beijos
      http://blogpalomapires.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    6. morro de vontade de ter uma bicicleta antiga e tempo para sair pedalando por ai e esquecendo de todas as responsabilidades. Eu quis tanto crescer e hoje vejo que passei a melhor fase da vida,viu? hahahahahaahh

      Beijos,
      Isabella
      The Urban Trends

      ResponderExcluir
    7. Que texto mais gostoso de ler... acabei viajando junto rsrrs
      Também queria muito uma bike para pedalar por ai curtindo o momento :)

      bjs

      www.tpmbasica.com.br
      youtube.com/tpmbasica

      ResponderExcluir
    8. Gostei tanto do texto! Eu também acho que a vida é feita de ~pequenos grandes prazeres~ e eu trato de aproveitar um por um.

      Beijos

      Poesia em Transe

      ResponderExcluir
    9. Seus textos são lindos, sei exatamente deste êxtase nas coisas que amamos, lindo <3
      http://www.charme-se.com/

      ResponderExcluir
    10. Muito lindo esse texto, eu até ouvi a musica por causa dele (nunca tinha ouvido). De fato uma das melhores coisas da vida são os pequenos grandes prazeres.

      http://livrosamoremais.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    11. seu texto me lembrou muito (MUITO!) o filme "O Fabuloso destino de Amélie Poulain" *-* no filme, a protagonista também gosta de aproveitar as pequenas coisa da vida (: ah, eu também adoro! :D
      beijos :*
      http://memorialices.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir

    Obrigada pela sua visita! Ela é muito importante.