Pesquisa







Título: Enquanto eu te esquecia
Autor: Jennie Shortridge
Páginas: 379
Editora: Única
Nota: 4,0-5
Sinopse: Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente.
Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação? Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto eu te esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.
O título sempre me chamara atenção. E sem ler já imaginei uma história de pós término de um relacionamento. E não era. Bom quase era se me entendem. O livro começa quando Lucie acorda com uma equipe de natação tentando chamar sua atenção, com água em sua altura do joelho, olhos assustados ao seu redor, e então percebi que não lembra de seu nome, onde mora, quem são seus pais, ou seja, não se lembra de nada sobre sua vida. E então começam buscas para encontrar sua família e seu amor, seu noivo Grady. Lucie então é levada para uma clínica psiquiátrica e descobrem que antes de sumir e perder a memória, ela teve uma briga muito feia com seu noivo. 
Considero esse livro muito grande para uma história que não precisa de tantos rodeios. Pois até o ponto onde ela encontra o seu noivo, demora um pouco e isso me deixou desanimada com a história. Depois desse encontro totalmente confuso para ambos, começa a sua vida de novo, tentando se lembrar das coisas em sua casa, com um cara estranho, em uma casa estranha de móveis e cores esquisitas e muitas vezes se pega pensando em como pôde ter aquele gosto de decoração. Grady se vê perdido, e a cada dia tenta reconquistar o amor de sua vida.
"Por que as pessoas não seguiam as regras na vida, como ficar vivo até que suas crias chegassem a idade adulta? Tipo, não esquecer completamente a pessoa que se ama e se tornar uma estranha. Tipo, dividir as merdas das raias da piscina, pelo amor de Deus." pág 154
Esse livro conta um ponto muito importante para mim: a futilidade. Lucie percebe muitos cosméticos, muitas roupas, muitos sapatos e coisas sem futuro e fica apavorada em como podia ser uma mulher de mente vazia. E então, começa a viver uma vida simples, dispensa as maquiagens e os produtos de beleza que a antiga Lucie amava consumir. Essa parte foca bastante no quanto é importante vivermos bem e felizes, sem futilidades ao redor.
E nessa história toda, Lucie esconde traumas demais que Grady nunca chegou a saber. E claro que tudo vai ser desvendado, explicando os comportamentos de Lucie antes da perda de memória. Mas nada de spoiler não é mesmo?
Admito que demorei muito para gostar do livro pois estava bem monótono e repetitivo. Mas aí essa parte passa e você se envolve com os personagens. Gostei bastante que cada capítulo é separado entre Lucie e Grady, cada um contando seus sentimentos sobre como a perda da memória afetou suas vidas e o modo como viviam e agora mudaram. E esse é um livro com personagens maduros e muito bem construídos e uma história muito bonita e inspiradora.

Gostaram de conhecer o livro?
Acompanhe o blog também em:
Veja mais posts sobre:

Comente pelo Facebook!

2 Comentários

  1. É ruim quando a leitura não flui como a gente gostaria, né? Mesmo assim, pela resenha, a história parece interessante. Vou procurar ler. :)

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curiosa para ler, a história parece ser interessante mesmo com a questão da enrolação. Aliás, isso é um problema que a gente acha em muitos livros, né? Parece que ainda se prioriza quantidade e não qualidade, infelizmente!
    Beijão!
    Cantinho de Ideias

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! Ela é muito importante.